GasLand, the Saudi Arabia of Natural Gas / Terra do Gás, a Arábia Saudita Do Gás Natural


ENGLISH VERSION WRITTEN AND TRANSLATED BY ME FOR SHVOONG

Imagine abrir a água na cozinha e poder incendiá-la. Você esperaria uma explosão?

Pois é isso mesmo que comunidades rurais nos Estados Unidos estão tirando das torneiras por todos os lugares onde se minera gás natural. Quando Josh Fox recebeu uma proposta de uma companhia de Petróleo e Gás para arrendar a sua propriedade de 80 mil metros quadrados, resolveu partir numa viagem por “GasLand“, a terra do gás, e descobrir que história era aquela. Depois de viver a vida inteira numa linda casa construida em 1972 por seus pais hippies, no estado da Pensilvânia, o diretor de cinema fez a descoberta surpreendente que a sua terra se situava sobre uma formação rochosa, conhecida por Marcellus Shale, e por vezes chamada de Arábia Saudita do Gás Natural.

Admirado com a facilidade de alugar a sua propriedade a uma companhia de Petróleo e Gás por cerca de 100.000 doláres, Josh começou por entrevistar seus vizinhos sobre a proposta da empresa. O resultado saiu este ano como um dos candidatos ao Oscar de melhor documentário. GasLand rastreia as regulações da indústria começando com o governo Bush e a lei da energia que passou no congresso Norte-Americano em 2005. A lei foi proposta por nada menos que Dick Cheney, então vice-presidente e antigo diretor executivo da empresa Halliburton, responsável pela tecnologia de mineração conhecida por Fraturamento Hidraulico ou Fracking, que é hoje usada por companhias como Encana, Williams, Chesapeake e Cabot Oil and Gas. Depois de descobrir que a nova lei de energia isentava essas companhias de regulamentos sobre a qualidade da água e do ar em vigor desde a administração Nixon, Josh ficou ainda mais desconfiado.
A suspeita levou-o por uma viagem no país, do Colorado ao Oklahoma, pelos campos de mineração da América, e ao interior das bacias rochosas onde se encontra o gás natural. A tecnologia fracking quebra essas bacias com um jato de água misturada com quimicos, jogado a cerca de 2500 metros de profundidade. O problema é que esses químicos são soltos no ar, na água, em todos os organismos vivos, destruindo o modo de vida de numerosas comunidades rurais, deixando pessoas e animais doentes. Sintomas tipicos incluem dores de cabeça, perda de olfato, desorientação, dores no corpo excruciantes e finalmente a morte. E apesar do fato das companhias de Petróleo e Gás não serem obrigadas a tornar público quais químicos são utilizados neste tipo de mineração, Josh Fox entrevista a ambientalista premiada Theo Colborn, cujo ativismo identificou cerca de 900 produtos químicos utilizados no Fracking e prejudiciais para a saúde humana.
GasLand destroi o mito do gás natural ser uma indústria limpa e segura, e enquanto Josh observa que a tecnologia Fracking promete se extender pelos campos da Europa, da Africa e da América Latina, somos deixados com a sensação desconfortável que em breve ar e água contaminados podem se alastrar do quintal do diretor ao nosso. Um documentário a não perder.

About manu|escrita

https://about.me/manu.escrita View all posts by manu|escrita

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: